Sete cantigas para voar
de Vital Farias

Cantiga de campo de concentração
A gente bem sente com precisão
Mas recordo a sua imagem
Naquela viagem que eu fiz pro sertão
Eu que nasci na floresta
Canto e faço festa no seu coração
Voa, voa, azulão...

Cantiga de roça de um cego apaixonado
Cantiga de moça lá do cercado
Que canta a fauna e a flora
E ninguém ignora se ela quer brotar
Bota uma flor no cabelo
Com alegria e zelo para não secar
Voa, voa, azulão...

Cantiga de ninar a criança na rede
Mentira de água é matar a sede
Diz pra mãe que eu fui pro açude
Fui pescar um peixe, isso eu não fui não
Tava era com um namorado
Pra alegria e festa do meu coração
Voa, voa, azulão...

Cantiga de índio que perdeu sua taba
No peito esse incêndio, céu não se apaga
Deixe o índio no seu canto
Que eu canto um acalanto,
Faço outra canção
Deixe o peixe deixe o rio
Que o rio é um fio de inspiração
Voa, voa, azulão...

Sergio Glenes

Phasellus facilisis convallis metus, ut imperdiet augue auctor nec. Duis at velit id augue lobortis porta. Sed varius, enim accumsan aliquam tincidunt, tortor urna vulputate quam, eget finibus urna est in augue.